sexta-feira, 22 de abril de 2016

Dissidente antitrinitariano volta para Cristo (e para o Espírito Santo!)

 Resultado de imagem para Espirito santo de Deus
É muito bom receber notícias de pessoas sinceras que, depois de terem sido cegadas por algum tempo, permitiram que Deus iluminasse suas mentes para uma compreensão mais plena da verdade.

A seguir você conhecerá um pouco da história de Moisés Lucas. Ele escreveu para o programa “Na Mira da Verdade” contando de sua trajetória no meio dissidente e do entusiasmo por hoje viver uma nova paixão pela Pessoa do Espírito Santo.

Reparta essa história com antitrinitarianos que se encontram presos nas garras do diabo. Confio que tal relato será um instrumento da Terceira Pessoa do “Trio Celestial” (expressão usada pela trinitariana Ellen White!) para auxiliar essas pobres pessoas que já perderam o sabor da verdadeira religião.
Afinal, eles pregam para quem é da Igreja, ao invés de pregar as Três Mensagens Angélicas (Ap 14:6-12) para os de fora... Como um “evangelismo” dessa espécie pode produzir verdadeiro contentamento espiritual? Impossível.
O diabo não tem poder para cegar uma pessoa por toda a vida se ela não quiser. Por isso, oro nesse momento para que você, caso seja um dissidente, clame aos céus por auxílio e deixe de lado as heresias e revolta que vem alimentando há algum tempo.
Leia a seguir o belíssimo relato (destaquei algumas partes e comentei-as entre colchetes):

Boa tarde, Leandro Quadros. Meu nome é Moisés Lucas e sou de Santa Catarina. Vou lhe contar um pouquinho da minha história de vida como Adventista do 7° Dia. Nasci num lar adventista. Meus pais conheceram a verdade quando tinham +/- 3 anos de casados, através do irmão de meu pai. Sempre fui ativo na IASD desde pequeno devido à influência dos meus pais, que sempre foram líderes na igreja onde morávamos. 

Tenho dois irmãos, ambos casados, e namoro uma linda moça. No ano 2000 morávamos em Blumenau e meu pai era obreiro da IASD. Foi ali que comecei o contato pela 1° vez com a doutrina antitrinitariana. Confesso que no inicio me assustei um pouco, mas, com o passar dos meses, fui me adaptando à nova crença de meu pai. Por ele ter uma influência enorme na minha vida (pois o amo e respeito muito), aceitei a tese de que o Espírito Santo era apenas o poder ativo de Cristo [os dissidentes não chegaram a um consenso: alguns pensam ainda hoje que o Espírito Santo é “o próprio Cristo”; outros, que é o “poder de Deus Pai e de Cristo” enquanto que os demais chegam ao cúmulo de dizer que o Espírito é “o anjo Gabriel! É uma verdadeira “babilônia” de heresias!] 

Os anos passaram e já era 2004. Meu pai foi excluído da igreja. Foi algo muito triste. Meu pai – obreiro de Deus e que cursou 3 anos de teologia – agora tinha seu nome removido do rol de membros da igreja que tanto defendia! Entrei no mesmo barco. Não cheguei a ser removido por que nunca me posicionei verbalmente sobre o assunto. Tinha apenas uma luta interna.
No ano de 2006 foi o auge da minha revolta. Sem ter chão e parecendo que Deus havia me abandonado, fui colportar. Que coisa, não? Não acreditava na Trindade e fui para a colportagem?! Realmente Deus me tirou de minha cidade. Nessa campanha de colportagem conheci a minha namorada. Terminando a campanha fui morar em Blumenau. Ali a minha luta interna aumentou devido a ver as palestras dos pastores defendendo a Trindade.
Eu dizia para mim mesmo: "Esses pastores são um bando de ignorantes, mal sabem o quanto estão perdidos". Passou os anos e permaneceu da mesma maneira. Porém, veio a mudança em minha vida! 

Era o ano de 2010 e eu estava sufocando devido a essa doutrina [percebeu, amigo leitor? A heresia antitrinitariana – predita por Ellen White e chamada de “Apostasia Ômega” – tira a paz!]. Eu estava indo na igreja, mas não acreditava na Trindade! Sentia-me muito mal cantando na congregação, orando e participando! Realmente eu era uma pessoa de duas caras [viu os “resultados” diabólicos do antitrinitarianismo dos dissidentes?] 

Não sei ao certo o mês, mas foi mais ou menos em maio. Pela 1° vez caí de joelhos e implorei a Deus que me desse luz! Não aguentava essa angústia! [quando uma pessoa ora com sinceridade, Cristo a liberta!] Na mesma hora Deus me mostrou um livro: “Como Conhecer a Deus: Um plano de 5 dias” (Pr. Morris Wenden). Leandro ali começou a minha mudança! Tirei a doutrina do foco e coloquei Cristo. Pedi a Ele para não me deixar enganar pela mistura da verdade com mentira e, pela 1° vez em 10 anos, senti novamente o Espírito Santo, enchendo o vazio que havia em mim! [Graças a Deus por isso!]
Ele fechou a ferida como se nunca estivesse existido! [Algo que o dissidente precisa muito] Hoje não apenas creio no Espírito Santo, mas falo do milagre dEle em minha vida por onde passo. Realmente Ele carregou o meu fardo (que não era pouco), e conduziu-me a liberdade. Hoje O sinto em cada segundo como Deus da minha vida! [Aleluia!]

Na verdade há muita coisa para contar desse período. Se tivesse oportunidade gostaria de testemunhar através de um vídeo, para que todas as pessoas que saíram da igreja (devido à crença na Trindade) vejam que ainda não pecaram contra o Espírito Santo e que há volta! Que Deus abençoe a todos.
[Se você também é um “ex-dissidente” e deseja que outras pessoas sejam motivadas a abandonarem tal caminho de trevas, escreva-me contando sua história. E-mail: leandro.quadros@novotempo.org
Fonte: Em Defesa do Espírito Santo

1 comentários:

Unknown disse...

Bom dia e um feliz sábado. Linda história Deus ama seus filhos e os tira do lamação de perdição para a grande Salvação amém.

Postar um comentário

▲ TOPO DA PÁGINA