domingo, 31 de julho de 2011

Até quando Satanás teve oportunidade para se arrepender?

Algumas pessoas crêem que o tempo da graça para Satanás só se esgotou na cruz (João 19:30), pois ainda nos dias de Jó ele participou com “os filhos de Deus” de uma reunião “perante o Senhor” (Jó 1:6-8). Mas a descrição desse episódio não sugere que a reunião haja ocorrido necessariamente nas cortes celestiais, e muito menos que Satanás, depois de expulso do céu (Apoc. 12:7-9), ainda tivesse acesso à salvação.

Ellen White esclarece que o tempo da graça para Satanás e seus anjos esgotou-se com a expulsão deles do céu. Ela declara que “Deus, em Sua grande misericórdia, suportou longamente a Satanás”, e que “reiteradas vezes lhe foi oferecido o perdão, sob a condição de que se arrependesse e submetesse”, mas ele jamais aceitou os apelos da misericórdia divina (O Grande Conflito, págs. 495 e 496). Havendo perdido sua posição nas cortes celestiais, Satanás ainda solicitou para ser readmitido no céu, mas Cristo lhe disse que isto seria impossível. O próprio Satanás deixou a presença de Cristo “plenamente convencido de que não havia possibilidade de ser reintegrado no favor de Deus” (História da Redenção, págs. 27).

De acordo com a Sra. White, após os anjos caídos deixarem o céu, “não havia possibilidade de esperança de redenção para estes que haviam testemunhado e compartilhado da glória inexprimível do Céu, tinham visto a terrível majestade de Deus e, em face de toda esta glória, ainda se rebelaram contra Ele. Não haveria novas e maravilhosas exibições do exaltado poder de Deus que os pudessem impressionar tão profundamente como aqueles que já haviam testemunhado.” (No Deserto da Tentação, págs. 25 e 26).

Alberto R. Timm (publicado na revista do ancião em abr – jun 2003)

Desperdício de Alimentos

Veja no gráfico animado a quantidade de comida que vai para o lixo no Brasil.

Animação produzida para o Canal Futura, que trata do desperdício de alimentos, especialmente no Brasil, desde a plantação, até chegar, ou não, às nossas mesas.

Lembrando sempre que, as crianças, de qualquer faixa etária, adoram animações, e estas cativam mais sua atenção que as produções realistas, com atores e cenários verdadeiros.

Por isso mesmo, este é um Oportuno e didático material que pode ser usado sem restrições em meio a qualquer grupo etário. Ótimo acessório para se trabalhar a "Consciência do Desperdício" em sala de aula ou mesmo em casa. 
Nota: E saber que na Africa a fome está afetando e matando milhões de pessoas.

As Criaturas Extraterrestres Enumeradas na Bíblia

A Bíblia ensina a existência de outros seres criados, além dos seres humanos. Vejamos:

As 3 categorias de anjos citados pela Bíblia:

1- QUERUBINS = anjos de 4 asas. (Ezequiel 1:6, 28:14)

querubins

2- SERAFINS – anjos de 6 asas. (Isaías 6:2).

Serafim
3- ANJOS INTERCESSORES (Jó 33:23-24)

Anjos
Os anjos são chamados de estrelas. Eles existem desde antes a fundação da Terra como Deus declara a Jó. (ver Jó 38:4-7 e Apoc 12:4).

Observação: Com a rebelião de Lúcifer 1/3 das “estrelas” do Céu foram expulsas para a Terra. (ver Ezequiel 28:13-19, Isaías 14:11-15 e Apocalipse 12:4, 7-10)

Agora que já analisamos a questão dos anjos vamos analisar a questão dos outros seres criados. Na Bíblía Sagrada apenas 3 classes de pessoas são chamados de FILHOS DE DEUS:

1- Os convertidos (I João 3:1)

2- Jesus, de maneira peculiar pra enfocar sua divindade (I João 1:3)

3- Adão, como primeira criação de Deus. Aquele que saiu diretamente da mão de Deus é também chamado de “filho de Deus” (Lucas 3:38).

Jesus afirma repetidas vezes que Satanás hoje é o Principe deste mundo (João 12:31, 14:30, 16:11). Ele tomou o lugar legítimo de Adão ao enganá-lo no Éden.

Satanás1

Bem, temos uma caso curioso no conselho divino que em que satanás apareceu para acusar Jó. Em Jó 1:6 os “filhos de Deus” vão até o Senhor. É uma expressão que se refere mais a Adão do que aos anjos que são chamados de “estrelas”. Satanás compareceu a reunião por ser o representante da Terra, visto que Adão havia pecado e morrido e não poderia participar.

Então os filhos de Deus citados aqui poderiam ser representantes dos OUTROS PLANETAS CRIADOS. O “Adão” de cada mundo.

Ora, em Apocalipse temos 24 ANCIÃOS (4:10) perante o trono de Deus. Parecem ser co-governantes pertencentes a um conselho e novamente poderiam não ser anjos.

24 anciãos

O CONSELHO UNIVERSAL É CITADO POR PAULO EM HEBREUS 12:22.

Porque Paulo se refere a uma “universal assembléia” e não a uma assembléia de anjos? Porque Satanás se já havia sido expulso do céu (Apoc 12:9) pôde comparecer na Assembléia em que acusou Jó?

Tudo leva a crer de que Há mundos criados e não estamos sozinhos no universo. A simples existencia dos anjos provam de que eles são ministros (Hebreus 1:7) e pontos de ligação entre os planetas.

Ainda várias traduções de Hebreus 1:2 afirma que Cristo fez os mundos…

A Terra na cronologia bíblica, portanto, seria o último dos planetas criados e o ùnico planeta a cair em pecado.

Assim, TODO O UNIVERSO CONTEMPLOU A MORTE DE CRISTO NA CRUZ, para salvar a humanidade. (Hebreus 12:1),

I Timóteo 3:16: “E, sem dúvida alguma, grande é o mistério da piedade: Aquele que se manifestou em carne, foi justificado em espírito, visto dos anjos, pregado entre os gentios, crido no mundo, e recebido acima na glória.”

Hebreus 12:22-23: “Mas tendes chegado ao Monte Sião, e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, a miríades de anjos;
à universal assembléia
e igreja dos primogênitos inscritos nos céus, e a Deus, o juiz de todos,”…

Os textos a seguir, da escritora Ellen G. White, fornecem maiores detalhes sobre o assunto:

“[Deus] conta as estrelas, Ele que criou os mundos – entre os quais esta Terra é apenas um grão de pó, e quase não se notaria sua ausência dentre os numerosos mundos” (In Heavenly Places, pág. 40).

“Deus tem mundos inumeráveis que são obedientes a Suas leis, e que se conduzem de acordo com Sua glória” (The Faith I Live By, pág. 61). “O resultado da luta [entre Cristo e Satanás] teve uma implicação no futuro de todos os mundos, e cada passo que tomou Cristo na senda da humilhação foi observado por eles com o mais profundo interesse” (Advent Review and Sabbath Herald, março de 1901).

Arqueólogos dizem ter encontrado túmulo de apóstolo de Jesus

O arqueólogo Francesco d’Andria anunciou ter encontrado na Turquia o túmulo de São Filipe, um dos doze apóstolos de Jesus. A equipa do italiano tem estado em escavações em Pamukkale, oeste da Turquia, e nesta quarta-feira anunciou a descoberta, através da agência turca Anatólia.
Pamukkale é Património Mundial da Unesco 
Pamukkale é Património Mundial da Unesco (DR)

“Há 12 anos que tentamos encontrar o túmulo de São Filipe. Finalmente encontrámo-lo entre os escombros de uma igreja que escavávamos há cerca de um mês”, disse Francesco d’Andria, professor de arqueologia e história da arte grega e romana na Universidade de Lecce, na Itália, actualmente a trabalhar neste projecto.

A descoberta do túmulo aconteceu na sequência dos trabalhos de escavação numa igreja recentemente dada a conhecer na região de Pamukkale, antiga cidade de Hierápolis, considerada hoje Património Mundial da Unesco, e conhecida também por “cidade sagrada”, famosa pelas suas águas termais, rochas sedimentares e a pedra calcária branca que lhe dá o epíteto de “castelo de algodão”.

O italiano explicou que o túmulo ainda não foi aberto mas que a sua estrutura e as escrituras na pedra indicam que aquela é mesmo a sepultura de São Filipe. “Um dia será aberta, sem dúvida. Esta descoberta é de grande importância para a arqueologia e para todo o mundo cristão”, disse, acreditando que aquele sítio se poderá tornar num importante local de peregrinação cristã.

Originário da Galileia, actual Israel, Filipe foi um dos discípulos de Jesus, tendo viajado para evangelizar as regiões da Ásia Menor. Segundo documentos e testemunhos históricos, o apóstolo terá morrido lapidado e depois crucificado pelos romanos na então Hierápolis, nos anos 80 d.C.

Logo após a sua morte, um túmulo octogonal, intitulado “O Martírio”, foi edificado em sua memória naquela cidade. 
Fonte: Publico

sábado, 30 de julho de 2011

O que é Justificação pela fé?


Quando o pecador penitente, arrependido, contrito diante de Deus, discerne a expiação (o sacrifício) de Cristo em seu favor e aceita essa expiação como sua única esperança nesta vida e na vida futura, seus pecados são perdoados. Isso é justificação pela fé. Toda pessoa crente deve submeter sua vontade inteiramente à vontade de Deus e manter-se num estado de arrependimento e contrição, exercendo fé nos méritos expiadores do Redentor e avançando de força em força, e de glória em glória.
Perdão e justificação são uma só e a mesma coisa. Pela fé, o crente passa da posição de rebelde, de filho do pecado e de
Satanás, para a posição de súdito leal de Cristo Jesus, não por causa de alguma bondade inerente, mas porque Cristo o recebe como Seu filho, por adoção. O pecador obtém o perdão de seus pecados, porque esses pecados são carregados por seu Substituto e Penhor, Jesus Cristo. O Senhor fala a Seu Pai celestial, dizendo: “Este é Meu filho. Eu o absolvo da condenação da morte, dando- lhe Minha apólice de seguro de vida – a vida eterna – porque tomei o seu lugar e sofri por seus pecados. Ele é mesmo Meu filho amado.” Assim o homem, perdoado e revestido das belas vestes da justiça de Cristo, se encontra irrepreensível diante de Deus.
O pecador pode errar, mas ele não é rejeitado sem misericórdia. Sua única esperança, porém, é arrependimento para com Deus e fé no Senhor Jesus Cristo. A prerrogativa do Pai é perdoar nossas transgressões e pecados, porque Cristo tomou sobre sobre Si a nossa culpa e nos absolveu, imputando-nos Sua própria justiça. Seu sacrifício satisfaz plenamente as reivindicações da justiça. Justificação é o contrário de condenação. A infinita misericórdia de Deus é manifestada para os que são completamente indignos.
Ele perdoa as transgressões e os pecados por amor de Jesus, o qual Se tornou a propiciação pelos nossos pecados. Pela fé em Cristo, o transgressor culpado é conduzido ao favor de Deus e à forte esperança da vida eterna.

História Autêntica do Começo de nosso Mundo

Relato Verdadeiro da Criação — Unicamente na Palavra de Deus encontramos um relato autêntico da criação. Nela contemplamos o poder que lançou os fundamentos da Terra e estendeu os céus. RH, 11 de julho de 1882.

A Bíblia e a Natureza Estão em Harmonia, pois Têm o Mesmo Autor — A Bíblia é a história mais instrutiva e abarcante que já foi dada ao mundo. Suas páginas sagradas contêm o único relato autêntico da criação. Contemplamos aqui o poder que “estendeu os céus e lançou os fundamentos da Terra”. Temos aqui uma história verdadeira da humanidade, que não foi deturpada pelo preconceito ou orgulho humano.
Há harmonia entre a natureza e o cristianismo; pois ambos têm o mesmo Autor. O livro da natureza e o livro da revelação indicam a atuação da mesma mente divina. Há lições a serem aprendidas na natureza; e há lições — lições profundas, sérias e realmente importantes — a serem aprendidas do Livro de Deus: RH, 19 de agosto de 1884.

A Filosofia Divina da História Sagrada a Ser Estudada — A história do mundo desde o princípio está contida no Gênesis. Nele está revelado que toda a nação que esquecer Deus, abandonar Seus caminhos e Seu sinal de obediência, o qual faz distinção entre o justo e o injusto, o íntegro e o perverso, o salvo e o perdido, será destruída. O primeiro livro da Bíblia, o qual relata a história das nações, incluindo a destruição do mundo, mostra a providência divina, que, de geração em geração tem sido providenciada para a instrução do povo escolhido. A palavra claramente escrita com respeito ao justo e ao injusto é um testemunho vivo com respeito àqueles a quem Deus santificará. Ninguém que vive em desobediência pode receber Suas bênçãos, somente os que estão em obediência.
O Senhor convida a todos para estudarem a filosofia divina da história sagrada, escrita por Moisés, sob a inspiração do Espírito Santo. A primeira família a habitar a Terra é um exemplo de todas as famílias que existirão até o fim dos tempos. Há muito que aprender desta história para podermos compreender o divino plano para a raça humana. Este plano está claramente definido, e a alma devota e consagrada tornar-se-á aprendiz dos pensamentos e propósitos de Deus desde o princípio até o final da história terrestre. Também compreenderá que Jesus Cristo, Um com o Pai, foi o grande impulsionador de todo o progresso, Aquele que é a fonte de toda purificação e elevação da raça humana. MS 85, 1899.

Um Relato Verdadeiro da Origem do Pecado e do Início da História — Dependemos da Bíblia para o conhecimento da história do início do nosso mundo, da criação do homem e da queda deste. Retirai a Palavra de Deus, e o que podemos esperar, senão ser deixados às fábulas e conjeturas, e àquele enfraquecimento do intelecto que é o resultado certo de acolhermos o erro? Necessitamos da história autêntica da origem da Terra, da queda do querubim cobridor e da introdução do pecado em nosso mundo. Sem a Bíblia, seríamos confundidos pelas falsas teorias. A mente estaria sujeita à tirania da superstição e da falsidade. Tendo, porém, em nosso poder a história verdadeira do começo do nosso mundo, não precisamos enredar a nós mesmos com conjeturas humanas e teorias duvidosas. MSa, pág. 89 (MS 42, 1904).

Um Relato Autêntico da Criação — A Mente e a Mão divina preservaram através dos séculos o relato da criação em sua pureza. — Unicamente na Palavra de Deus encontramos um relato autêntico da criação. Carta 64, 1909, RH 11 de novo de 1909.

O Conhecimento nas Escolas Adventistas — A luz que me foi dada revela que tremenda pressão será trazida sobre cada Adventista do Sétimo Dia com quem o mundo pode entrar em íntimo relacionamento. Precisamos compreender estas coisas. Os que buscam a educação que o mundo tem em tão alta conta, são gradualmente levados para mais longe dos princípios da verdade até se tornarem mundanos educados. A que preço obtiveram sua educação! Separaram-se do Santo Espírito de Deus. Escolheram aceitar o que o mundo chama de conhecimento, em lugar das verdades que Deus tem confiado aos homens mediante Seus pastores, profetas e apóstolos. E alguns, tendo adquirido essa educação secular, pensam que podem introduzi-la em nossas escolas. Permitam-me dizer a vocês, porém, que não devem tomar o que o mundo chama de educação superior e trazê-lo para dentro de nossas escolas, hospitais e igrejas. Falo categoricamente. Isso não deve ser feito. …
A Mente e a Mão divina preservaram através dos séculos o relato da criação em sua pureza. Carta 84, 1909.

Relato da Criação Preservado em Sua Pureza — Recebi a instrução de que devemos conduzir a mente de nossos alunos a um nível mais elevado do que agora se considera possível. O coração e a mente devem ser ensinados a preservar sua pureza recebendo provisões diárias da Fonte da verdade eterna. A Mente e a Mão divina preservaram através dos séculos o relato da criação em sua pureza. É unicamente a Palavra de Deus que nos dá um relato autêntico da criação de nosso mundo. Esta Palavra deve ser o principal estudo em nossas escolas. CP, pág. 13 (1913), FEC, pág. 536.

▲ TOPO DA PÁGINA